Skip to content

Descascando cebolas

1 de junho de 2014

Dia desses, comentei que, para mim, a mente e a alma são como aquelas bonecas russas, as matrioshkas: quando a gente começa a abrir, descobre que tem muito mais lá dentro. Também me parece que esse processo de tomada de consciência é como abrir a tal boneca. Depois que você começa, não consegue parar até chegar na última boneca. Claro que abrir as bonecas é bem mais rápido do que abrir nossas caixas de Pandora, e assusta menos, mas dá para pegar o espírito da coisa, certo?

Outra metáfora que se aplica bem para essa busca de entendimento, de sentido, de respostas, é o descascar de uma cebola. São várias camadas até chegar ao âmago da questão. Assim é na vida. É preciso ir fundo, ultrapassar o conforto da superfície, da rotina, da zona de conforto, para achar as verdadeiras causas das nossas consequências. O problema das cebolas, a gente sabe, é que elas podem nos fazer chorar. É preciso coragem, e um bom estoque de lenços, para enfrentar esse descascar para despertar.

Para deixar a história mais animada, muitas vezes parecemos mesmo é um novelo de lã, daqueles que foi atacado por um filhote de gato e está todo enrolado. Não se sabe o que é medo, o que é hábito, o que é defesa, o que é fuga, de onde veio tudo isso e para onde vai esse trem.

O jeito é tentar encontrar uma ponta, pequena que seja, e ir puxando aos poucos, com delicadeza, sem dramas, até achar o fio da meada. Um dia a gente consegue.

Anúncios

From → Proseando

4 Comentários
  1. Célia permalink

    Adorei! Descascar cebolas: na cozinha, um pouco d’água gelada na boca faz com que não choremos; na vida um gole de um bom vinho, um papo com um amigo também causa o mesmo efeito – desnudamos as várias camadas sem grandes ardores…
    Pense que, no fim disso tudo, assim com a Fênix, a gente acaba saindo de tudo renascido, reinventado, pronto para jogar mais um tempo do jogo e ainda por cima, cheio de gás! O resto a gente fala pessoalmente… Com Aperol Spritz minimizando os ardores das dores que descascar de vez em quando acaba causando..

    • Tão verdade, Célia! Amigos ajudam mesmo a descascar as cebolas com menos dor. E a metáfora da Fênix não podia ser mais apropriada. Renascer das cinzas com plumagem nova e saudável vale o esforço. 😉

  2. This is a very powerful text Zeila. You’re a beautiful writer!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: