Skip to content

Sobre raízes e âncoras

28 de setembro de 2013

Acabei de chegar de (mais uma) viagem. Está chovendo e faz frio, mas não tem problema, porque já estou no meu ninho de novo. Banho tomado, pijama quentinho, cachorros em volta. Já dei um cheiro na mãe, mas o Vinicius é mais passeador que a madrinha, então só amanhã.

Adoro viajar, conhecer novos lugares, voltar a lugares que gosto. Mesmo a trabalho, eu gosto, porque é uma oportunidade de encontrar os amigos que construíram seus ninhos em outras paradas. Gosto do movimento, gosto da novidade, mas gosto muito de voltar para o meu canto.

É aqui, no meio do mato e junto da minha família, que recarrego as energias e me refaço. Ir é bom, mas só quando a gente tem para onde voltar.

Continuar aqui é uma opção, ainda que outras possibilidades sejam tentadoras. Não descarto isso no futuro, mas no momento sinto que aqui é meu lugar.

Na minha casa, me abrigo da loucura do mundo lá fora. Com a minha família, me lembro de quem sou e de onde vim. Compartilhamos uma história, e valores, e amor. Aquele, incondicional.

Pensei em usar uma âncora como metáfora, mas âncoras prendem o navio ao porto, não deixam que ele siga mar afora. Não me sinto assim. Penso que raízes seja a melhor definição. Assim como as raízes para as árvores, minha família me fez como sou por essência. Assim como as raízes para as árvores, é minha família que me mantém em pé.

20130928-195219.jpg

Anúncios

From → Proseando

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: