Skip to content

Praga (direto dos contos de fada)

6 de maio de 2013

A Itália tinha ficado para trás para que pudéssemos chegar ao último destino das férias: Praga. No aeroporto, descobri que a moeda oficial da República Checa não é o euro, mas coroas. Com a conversão cambial, saí de lá com alguns milhares de dinheiros, me sentindo “a rica”, rs.

O motorista do transfer falava inglês, e nos recebeu muito bem. No caminho, ia contando um pouco sobre a cidade, sem disfarçar o orgulho. Foi quase um city tour, porque passamos por varias das atracões turísticas, com direito à informações do simpático motorista. O mais engraçado, porém,  foi descobrir que a música brasileira estava “bombando” nas paradas de Praga. Não, nada de samba ou bossa nova, mas Michel Teló (Ai, se eu te pego) e Gustavo Lima (Tchê Tchê Rere). Eu já tinha ouvido essas músicas na Toscana, e descobri que os sertanejos estavam fazendo sucesso até na Rússia. Globalização musical, minha gente.  Teríamos pouco tempo para aproveitar (grande erro, hoje eu sei), então largamos as coisas no hotel (localizado no coração da Cidade Velha) e fomos explorar as redondezas.

 http://www.hotelvenezia-oldtown.com/

O cansaço do final se viagem fez a língua indecifrável assustar um pouco (como iria decifrar as placas, senhor?), mas isso passou assim que percebi que estava em um cenário de contos de fadas. Arquitetura linda e muito bem preservada (a cidade passou pelas duas guerras mundiais sem ser bombardeada), gente bonita e animada, céu azul e friozinho típico do leste europeu. Mais uma vez, eu me apaixova à primeira vista por uma cidade.

placa

Descobrimos que estávamos muito perto da Praça da República (onde fica a impressionante Torre de Pólvora) e da Praça da Cidade Velha, cheinha de atrações (Relógio astronômico,  Igreja Nossa Senhora de Týn]], monumento aq Jan Husobra de Frantisek Bilek, Palácio Kinský etc.). Essa praça também tem várias opções de restaurantes (a culinária é parecida com a alemã, mas a cozinha italiana está por todo lado), mas se preferir algo mais típico, pode comer um sanduíche de salsicha, vendido em barraquinhas, acompanhado de cerveja (o maior consumo per capita dessa bebida é dos moradores de Praga, olha só). Eu não provei o sanduíche, mas não resisti ao bolinho doce polvilhado com canela. Sabe Deus o nome, mas é garanto que é bem gostoso.

praça dia

 

eu praça dia

 

nome_doce

doce

De hora em hora, os turistas se aglomeram para ver o show do Orloj, o relógio astronômico medieval, composto de três componentes principais: o mostrador astronômico (representando a posição do Sol e da Lua no céu); a ”Caminhada dos Apóstolos” (show mecânico que mostra as figuras dos apóstolos em movimento) e um mostrador-calendário com medalhões representando os meses do ano.

igreja

 

close relogio

 

close_relogio

 No final do espetáculo, todos aplaudem, encantados, e depois voltam a circular pela praça, explorando as lojas de doces e souvenires (tem muita bijuteria bacana feita com “elementos” de cristal Swarovski, que imagino sejam restos, rs). O fim do dia tingiu a praça de cores mágicas.

por_do_sol

 

por_do_sol_close

Jantamos um bom risoto com vinho em um dos restaurantes da praça, olhando o movimento e curtindo os últimos momentos da viagem. Na volta para o hotel, uma apresentação de música clássica na rua fez tudo ficar ainda mais mágico.

musica na prça

No outro dia, depois do café no quarto (você escolhe o cardápio e o horário, olha que bacana), a missão era encontrar a famosa Charles Bridge antes de voltar para o lar doce lar. Pedi para o recepcionista escrever o nome do lugar na língua deles, e aí foi só seguir as placas para encontrar esse lugar mega charmoso. A ponte, com quase 10 metros de largura e 516 metros de comprimento, cruza o rio Vltava, e certamente poderia ser um cenário de conto de fadas. A torre que fica do lado da cidade velha é considerada uma das mais impressionantes obras de estilo gótico do mundo, e a ponte é adornada por uma fileira de 30 estátuas, na sua maioria de estilo barroco. Entre elas, se destaca a do mártir São João Nepomuceno, que dizem dar sorte a quem ali colocar a mão ali. O lugar onde os turistas tocam está desgastado, da mesma forma que acontece com o pé da estatua de São Pedro, na Basílica de São Pedro. Claro que tratei de fazer meu pedido. 😉

 rio

 

eu rio

 

eu_castelo_fundo_boa

eu ponte sorte

Muitas fotos e deslumbramento depois, era hora de dizer tchau para Praga.  No coração, duas certezas: 

1) Praga é um dos lugares mais charmosos deste mundo.

2) A visita foi muita curta, faltou muita coisa para ver. Vou ter de voltar. 🙂

A trilha sonora vem diretamente das ruas de Praga. O Prague Cello Quartet apresenta releituras clássicas para músicas famosas, como temas de filmes (Missão Impossível, Forest Gump etc.). Escolhi uma das músicas que ouvi ao vivo naquele fim de tarde tão especial.

 

Anúncios

From → Proseando, Viajando

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: