Skip to content

Gentileza gera gentileza

17 de fevereiro de 2013

Tinha acordado cedo para pegar o primeiro vôo para SP, e esta ainda naquele estado meio zumbi, de olhos abertos, mas sem ter acordado direito. No aeroporto, a senhora da limpeza já estava a mil por hora, cuidando do seu serviço e distribuindo sinceros sorrisos e bom- dias para todos que cruzassem seu caminho. Em outra viagem, cheguei ao hotel e o recepcionista, me chamando pelo nome, sem errar (estrelinha para ele, rs), elogiou o novo corte de cabelo. Não só se lembrava de mim como percebeu a mudança.

Agora, o cenário é um restaurante bacana, no qual fui jantar com uma amiga. A garçonete que nos atendeu na chegada nos tratou com total indiferença, até que um colega dela assumiu a mesa. Nossa experiência foi perfeita graças àquele moço. Ele nos ajudou a escolher o vinho,  caprichou na sobremesa, tudo com um profissionalismo impecável.  Se dependesse da garçonete, provavelmente teríamos saído de lá mal impressionadas. Outra história: você chega ao trabalho atarantada com a agenda maluca que tem pela frente, quando uma colega, de repente, elogia sua roupa/ esmalte/ qualquer coisa. Você se sente gente de novo, e a agenda já nem parece assim tão complicada. 

Alguém segura a porta do elevador. Sua mãe faz seu bolo favorito. Uma amiga te dá carona, mesmo que você more longe. Homens que abrem a porta do carro ou puxam a cadeira no restaurante. Você posta no Facebook que está gripada e recebe vários “melhoras, se cuide” como resposta.  Gente que sorri com os olhos, colegas que oferecem ajuda mesmo que isso não faça parte do seu job description. A lista de gentilezas não tem fim. Felizmente, o mundo está repleto de pessoas gentis, que espalham sorrisos no caminho da gente. Um sorriso, um olhar, um gesto, pequenas coisas que têm o poder de deixar a vida mais leve.

Na correria do dia a dia, fica fácil ligar o piloto automático e seguir de cabeça baixa, apressados, endurecendo e perdendo a ternura. E, se a gente pensar bem, custa muito pouco fazer alguém feliz. Gestos como os que eu citei são a prova disso (exceto a carona, porque a gasolina está pela hora da morte, vamos combinar).

Confesso que, nos dias de maior cansaço e desalento, gentilezas como essa quase me fazem chorar.  E o inverso também é verdadeiro: grosseria é uma das coisas que mais me desconsertam. Uma das poucas vezes que chorei no trabalho foi justamente por causa de uma avalanche de grosserias de um ex-fornecedor.  Não sou exatamente um doce de pessoa, mas minha mãe me educou bem direitinho, sim senhor. Respeito é bom e todo mundo gosta, não é? É como diz a Célia Leão, consultora de etiqueta e uma das pessoas mais gentis que eu já conheci, citando Emerson: suas atitudes falam tão alto que não consigo ouvir o que você está dizendo. 

Penso que pessoas gentis são anjos que Deus coloca em nosso caminho. São brigadeiros em forma de gente, feitos para adoçar nosso coração.  Que possamos plantar sementes de gentileza pelo nosso caminho, para que elas possam florir e deixar a vida de todos (inclusive a nossa) ainda mais bonita.

A trilha de hoje é uma música de Rod Stewart, gostosa de ouvir e que traz, na letra, um dos “fundamentos” da gentileza: “and do unto others as you’d have done to you (e faça para os outros como você teria feito para você mesmo)”.

 

Anúncios

From → Proseando

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: