Skip to content

Caiu na rede, é peixe

1 de fevereiro de 2013

No princípio, era o Orkut. De tanto ouvir o povo falando, resolvi entrar. Fui totalmente Zeila Maria vai com as outras. Eu não gostava muito da ferramenta (achava meio poluído e confuso), mas amei a ideia de estar conectada com tanta gente. Começou a aparecer gente das antigas, que eu achava que nunca mais encontraria. Quando fiz minha primeira viagem internacional, achei genial ver meus amigos viajando por Londres comigo a cada vez que postava fotos. As distâncias diminuíam.  

Depois, fez-se a luz. Zuckerberg criou o Facebook, e nós vimos que era bom. De novo, fui para lá seguindo o fluxo. Dessa vez, eu curti de verdade. A interface era bonita e simples, fácil de postar e acompanhar as atualizações dos amigos. Viciei. Sou heavy user assumida. Produzo conteúdo e acompanho a “produção alheia”. Para mim, é uma espécie de diário virtual. De tempos em tempos, dou uma espiada nos meses/anos anteriores e relembro o que fiz, com quem estava, como estava me sentindo. O que mais gosto das postagens dos amigos são os relatos pessoais. Eu me divirto com as imagens e afins, mas nisso sou parecida com o Facebook: eu quero saber como as pessoas estão se sentindo, o que estão fazendo etc. 

Também estou no Linkedin, e acho muito bacana esse networking virtual. No começo, apenas “estava” lá. De uns tempos para cá, percebi que é importante manter o perfil organizado e “arrumei a casa”. Além dos contatos, tem muito conteúdo bom sendo publicado. Aliás, o artigo abaixo, sobre etiqueta nas redes sociais, eu descobri lá, em uma postagem de uma amiga.

linkedin

O tal do Twitter não me conquistou. Tenho um perfil, mas só entro de vez em quando para bisbilhotar. Ultimamente, também tenho “twitado” meu blog, mas acho que sou tagarela demais para aqueles míseros 140 caracteres.

Instagram, check (uma imagem vale mais do que mil palavras). Também estou no Pinterest, que é uma espécie de mural virtual, onde você pode criar quadros para seus assuntos favoritos. Eu amo citações, e de vez em quando passo um tempinho aumentando a coleção. Se quiser dar uma espiada, cá está o link.

pinterest

A última “aquisição” foi o Klout. Confesse que ainda não entendi essa rede direito. Sei que ela me atribui uma pontuação, que oscila para mais ou para menos sem que eu saiba o que fiz (ou não fiz) para afetar o score. Sei também que isso tem a ver com a capacidade de influência que temos, e que já tem empresa considerando o tal score para recrutamento. Melhor eu entender esse trem logo. E antes que digam que estou exagerando com as redes sociais, no Google + eu não entrei, porque tudo tem limite. Mas guardei o convite, just in case.

Mesmo sendo geração X, fui fisgada pelas redes sociais. Gosto dessas múltiplas linguagens, da conexão e da colaboração. Gosto da rapidez com que as informações são transmitidas. Acessar o Facebook é ter acesso a um resumo das notícias mais quentes do dia, já analisadas e comentadas. Acho que esse é um caminho sem volta, e acho que o potencial das redes é gigante. Para o bem ou para o mal. O mesmo feed que compartilha uma campanha solidária pode postar destruir uma pessoa com comentários maldosos. O alcance desses canais pode ajudar a derrubar ditadores, da mesma forma como pode colocar fogo nas cinzas de preconceitos que só precisam de um sopro.

Outro ponto de atenção é essa tendência que temos a mergulhar nas redes e esquecer a vida real. Estamos ficando cada vez mais virtuais. Quantas vezes marcamos um encontro com um amigo e a primeira coisa que fazemos é perguntar qual é a senha do wi fi? Eu posso falar de cadeira (mea culpa!), porque volta e meio faço isso. Sei que é deselegante e estou me policiando. Acho que meus cachorros confiscariam meu smartphone se pudessem. Enfim, acho que aqui cabe um “post com moderação”.

Agora, vocês vão me dar licença, porque tenho de ir ali, nas redes sociais, compartilhar esse post. Se vocês gostarem, clica aí em curtir, ou deixa um comentário. 😉

Quebrei a cabeça para achar a trilha, até que decidi usar uma música que virou febre no mundo todo ao ser postada no Youtube. Vai dizer que você nunca arriscou uns passinhos?

Anúncios
2 Comentários
  1. Zeila!!! Tenho adorado ler seu blog!! Admiro muito sua maneira de escrever parabéns!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: